Paolla Oliveira: “Eu não reclamo de nada; a opção foi minha.”

Paolla Oliveira é a destemida Pat de “Cara e Coragem”, novela exibida pela Rede Globo, onde a atriz vive uma dublê de ação. E na vida real ela também não foge dos confrontos e adversidades.

Com muita garra e respeito ao ofício, a atriz vem se destacando cada vez mais aos olhos do público e da crítica especializada.

Tendo começado sua carreira como assistente de palco de Celso Portiolli, no programa “Passa ou Repassa”, Paolla já sonhava em ser uma atriz reconhecida no país. E isso foi acontecendo gradativamente, conforme os diretores e produtores foram percebendo seu potencial e lhe dando cada vez melhores oportunidades.

Na última quinta-feira a atriz foi conferir a estreia do espetáculo “Tudo”, no Teatro Sesi (RJ), e nós aproveitamos a chance para trocar dois dedos de prosa com ela.

Paolla falou sobre a vontade de estar no palco, a alegria de fazer a novela “Cara e Coragem”, e comentou também sobre as dores delícias de ser uma pessoa pública.

Com vocês, Paolla Oliveira!

*Paolla, você está aqui hoje prestigiando uma estreia teatral. Não sente vontade de estar nos palcos também?

Eu comecei fazendo teatro. Mas depois a televisão foi me engolindo de tal forma que fui me deixando levar. Fui fazendo uma novela atrás da outra… Mas por outro lado eu me acalmei e fui entendendo que não dava pra dar conta de tudo, que tudo tem seu tempo.

Talvez atores que tenham mais experiência no teatro saibam conciliar melhor os dois veículos ao mesmo tempo, mas não é o meu caso. E eu sou muito feliz com os caminhos que escolhi, mas tenho uma paixão absurda pelo teatro.

*E dentro desse contexto não se deve desmerecer o trabalho na tv…

Eu acho o teatro muito importante. Acho inclusive que todos deveriam fazer, seja no começo ou no meio da carreira, mas todos deveriam ter essa experiência. Eu tive essa experiência e sei o quanto faz diferença na vida de um ator. Mas infelizmente espetáculos como esse que iremos assistir hoje, eu nunca mais fiz.

*Mas vai fazer…

Quero muito….rs

*A televisão dá uma projeção gigantesca, e foi através dela que você se tornou conhecida em todo o país. Mas tem aquele lado que é o fato de todo mundo querer saber onde você vai, o que você pensa, com quem você está….De alguma forma esse lado da fama te incomoda?

Olha, vou te falar uma coisa. Tem alguns pontos que me incomodam, sim. Tem algumas coisas que se eu pudesse tiraria do caminho. A invasão de privacidade, a pressão, a cobrança excessiva. Mas te falo de coração que isso tudo fica menor quando eu penso que lá atrás eu desejei estar nessa posição, eu quis isso.

Eu sei que tem muitos amigos meus, e muito melhores do que eu, que não tem essa projeção e essa visibilidade. Então eu respiro, me acalmo e procuro ter paciência para lidar com que essa parte que eu não acho tão boa.

*Você poderia falar um pouco sobre a novela (Cara e Coragem)?

Caramba! Fazer essa novela é uma delícia. Aliás, hoje estamos quase todos juntos aqui prestigiando essa estreia. E a gente só tem conseguido essa façanha porque o ambiente é de extrema cumplicidade. Hoje, por exemplo, estamos trabalhando desde sete e meia da manhã, e saímos um pouco mais cedo para vir assistir nossos colegas.

*Paolla, muito obrigado pelo carinho.

Muito obrigada a vocês.

Reportagem : Léo Uliana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.