HiperMuseus : formando profissionais

Lucimara Letelier e Mariana Várzea estão a frente do projeto inovador.

Oi Futuro lança edital de programa internacional para promover inovação em museus e centros culturais 

Programa pioneiro na área de museus, criado pelo Museu Vivo e Inspirações Ilimitadas, com co-realização do Oi Futuro, será lançado dia 11 de junho, com formação de profissionais para a área, seminário e laboratório                                                                                                        

Qual o futuro dos museus na era digital? Qual o papel de um museu na sociedade do século 21? Um museu pode ser autossustentável? Essas questões motivaram a criação do programa HiperMuseus, inédito no Brasil, que promove a inovação e a cultura digital no campo dos museus e centros culturais. O programa vai atuar na formação de profissionais, formação de redes e desenvolvimento de novas estratégias na área digital, através de seminário, experimentação e mentorias, que serão realizados no Lab Oi Futuro e na Casa Firjan. 

O projeto tem patrocínio da Oi e do Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e Lei Estadual de Incentivo à Cultura, correalização do Oi Futuro e parceria com a Casa Firjan. São apoiadores institucionais do HiperMuseus a Superintendência de Museus da Secretaria de Estado de Cultura, o Instituto Brasileiro de Museus, recebe ainda apoio internacional do Consulado dos Países Baixos e do Conselho Brasileiro Internacional de Museus (ICOM-BR). 

Idealizado e coordenado pelo Museu Vivo e pela Inspirações Ilimitadas Projetos Culturais, em correalização com o Oi Futuro, o HiperMuseus é integrado a um movimento global de museus, como o We are Museums, Creative Museums e o Museo Mix. “A hiperconexão ativa o papel dos museus como agentes de transformação, interligando-os a seus públicos e às urgências contemporâneas como nunca antes”, explicam as curadoras Lucimara Letelier e Mariana Várzea. 

A ideia pioneira no país vai ao encontro de estratégias já aplicadas em grandes museus do mundo, como o MoMA, em Nova Iorque, o Van Gogh Museum, em Amsterdã, e o Louvre, em Paris. “A necessidade de integrar os meios digitais à atuação dos museus aumenta a interação com a comunidade local, reforça suas funções sociais, como dar acesso e preservar os acervos digitalmente, de forma cada vez mais transparente”, menciona Mariana Varzea, diretora da Inspirações Ilimitadas. Por isso, além do seminário internacional, está previsto um programa de formação interdisciplinar, através do qual, 42 profissionais de diversas áreas serão selecionados para participar do processo de inovação em cultura digital em museus e centros culturais, “Inovar em museus nos tempos atuais é cocriar soluções colaborativas, multidisciplinares e integradas às causas sociais mais urgentes. E também uma nova sustentabilidade econômica aos museus, pela cultura digital”, explica Lucimara Letelier, fundadora e diretora do Museu Vivo. Perfis mistos e diversos unirão forças para prototipar soluções conjuntas para desafios comuns em suas organizações. 

Parceiros do HiperMuseus, o Oi Futuro e a Casa Firjan se destacam também como centros de memória e cultura criativa. Com iniciativas colaborativas e inovadoras, o Oi Futuro fomenta experimentações e estimula conexões que potencializam o desenvolvimento pessoal e coletivo, com atuação nas áreas de educação, cultura, inovação social e esporte. O programa faz parte da linha de atuação do Oi Futuro na produção de conteúdo de referência e no estímulo à inovação no setor de museus, em que o instituto atua através do Museu das Telecomunicações – pioneiro em interatividade e gamificação – e na articulação de redes para formação de novos públicos, promovendo pesquisas, seminários e cursos. A Casa Firjan é um hub de inovação recém-inaugurado no Rio de Janeiro dedicado a criar propostas e soluções para os desafios da nova economia em uma sociedade em constante transformação. Aberta e gratuita à visitação, integra uma programação diversa que contempla debates, oficinas, palestras, cursos, atividades educativas e culturais. Atua com foco no desenvolvimento do estado, também possuindo pautas nacionais, valorizando e estimulando as vocações do Rio. Com conteúdo próprio e cocriado busca trabalhar para identificar possíveis conexões e promover interações entre indústrias, corporações, organizações, incluindo a sociedade civil. 

Lançamento de Edital e Inscrições 

Profissionais que atuam em museus, centros culturais, pessoas ativas em comunidades de cultura maker, tecnologia, especialistas em mídias sociais e cultura digital, e demais interessados no setor cultural, social e de economia criativa são o perfil para o Laboratório HiperMuseus. No dia 11 de junho, data que marca a abertura das inscrições, acontece um evento no LAB Oi Futuro, no Flamengo, às 19h. As inscrições podem ser feitas a partir do site www.hipermuseus.com. A divulgação dos resultados será no dia 08 de agosto e a primeira mentoria já acontece no dia 13. Até dezembro, serão seis encontros – incluindo um seminário aberto ao público na Casa Firjan – para prototipar projetos e soluções de relevância online, que provoquem engajamento nas redes e que tenham sustentabilidade econômica digital. O Van Gogh Museum é uma das presenças confirmadas nos seminários, e o argentino Marcelo Iniarra, profissional sênior de inovação, mobilização pública e captação de recursos, vai liderar o laboratório de inovação.

 

Inspiração 

Dia 20 de agosto haverá um seminário internacional na Casa Firjan, com objetivo de inspirar e criar conexões e articulações em rede. Especialistas de diversas áreas como Tecnologias Digitais, Crowdfunding, Museus de Bases Comunitárias, Captação Online, Cultura Maker, Novas Economias, Movimentos Sociais digitais, vão debater os espaços dos museus e como criar novas realidades para sua atuação social e digital. Van Gogh Museum, Museu do Amanhã, Museu de Favela (MUF), Museu das Telecomunicações e Benfeitoria, Movimento Nossas estão confirmados. 

“Para a maioria dos visitantes, o primeiro contato com o museu é digital! E engajá-los nas redes requer técnicas que envolvem empatia, emoção autenticidade e afeto”, relata Martijn Pronk, Diretor de Comunicação Digital do Van Gogh Museum, que está entre os cinco museus de arte no mundo que mais engaja digitalmente, com 2 milhões de seguidores no Facebook, e que virá ao Brasil pela primeira vez a convite do HiperMuseus.

 Experimentação 

De 21 a 23 de agosto, foi elaborado em conjunto com a Casa Firjan, um laboratório de imersão com o argentino Marcelo Iniarra, profissional sênior de inovação, mobilização pública e captação de recursos com mais de 30 anos de experiência. Iniarra já trabalhou com a Unicef, Anistia Internacional, Médicos Sem Fronteiras, WWF e Greenpeace Internacional, e hoje está liderando sua própria consultoria internacional, apresentando conselhos e inspiração para organizações de todo o mundo.  Seu laboratório tem como objetivo criar uma rede de vivência e experimentação. Desenvolver protótipos de cultura digital pensados para museus com finalidade de gerar engajamento dos públicos em causas (ativismo) ou em mecanismos de sustentabilidade econômica. 

 

Formação 

De setembro a novembro, os participantes do Laboratório receberão mentorias de profissionais do mercado que possam guiar a aplicabilidade dos protótipos que terão criado e provocá-los na direção de soluções novas, e ao mesmo tempo, relevantes ao campo museológico. Designers de interatividade, Especialistas em Acessibilidade Universal, consultores de Design Thinking, facilitadores de cultura maker, irão trazer recomendações, provocações e apoiar os 42 profissionais que irão trabalhar juntos na prototipagem.

 

Colaboração E-book 

Ao final do programa os protótipos com soluções inovadoras, e também as principais práticas, propostas e tendências geradas no HiperMuseus serão incluídas em um E-Book e distribuídas para a ampla rede de profissionais de museus via IBRAM, ICOM, Secretarias Estaduais, Redes independentes de museus e museólogos, Canais Museu Vivo e Inspirações Ilimitadas e Oi Futuro/Museu das Telecomunicações. Para além dos protótipos, o HiperMuseus resulta em uma comunidade de profissionais, instituições em torno da cultura digital em museus.  

Sobre Museu Vivo – Lucimara Letelier: Diretora do Museu Vivo, consultoria de inovação e sustentabilidade econômica em museus e cultura, idealizadora e realizadora do HiperMuseus, ao lado da Inspirações Ilimitadas. Atua em rede, com planejamento estratégico, curadoria de seminários e festivais, Laboratórios, conteúdos online e capacitação. Projetos com mais de 30 organizações, como Museu da Língua Portuguesa, Museu da Imigração, Museu Villa Lobos, Oi Futuro, Museu do Amanhã, MAR, BNDES. Há 20 anos na gestão cultural, social e museus. Mestre em Administração Cultural pela Boston University, foi Diretora/Gerente do British Council, ActionAid e Fundação OSB. Curadora do Festival ColaborAmerica, professora MBA de Gestão de Museus. Gaia Education/Unesco Change Maker: Design para Sustentabilidade. Conselheira ICOM, ActionAid e ABGC. 

Sobre Inspirações Ilimitadas – Mariana Várzea: Diretora da Inspirações Ilimitadas Projetos Culturais, empresa especializada no planejamento, gestão e financiamento das instituições culturais, idealizadora e realizadora do HiperMuseus, ao lado do Museu Vivo. Atuando há 25 anos no setor cultural, Mariana Várzea exerceu distintos cargos públicos, privados e em organismos do terceiro setor, sempre convergindo as áreas de cultura, museus, educação, economia da cultura, economia criativa e sustentabilidade.  É coordenadora do MBA de Produção Cultural da Candido Mendes, membra do Comitê Brasileiro do Instituto Internacional de Museus. É museóloga, mestre em História Social e Doutoranda em Museologia pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias–UHLT/Lisboa. 

 

Sobre o Oi Futuro: O Oi Futuro, instituto de inovação e criatividade da Oi, funciona como um laboratório para cocriação de projetos transformadores nas áreas de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte. Por meio de iniciativas e parcerias em todo o Brasil, estimulamos o potencial dos indivíduos e das redes para a construção de um presente com mais inclusão e diversidade. Na Cultura, o instituto atua como um catalisador criativo, impulsionando pessoas através das artes, estimulando a cocriação e promovendo o acesso à cultura na era digital. O Oi Futuro acredita na arte como ponto de partida para o desenvolvimento de novos processos e inovação. Com espaços positivos e um teatro multiuso, o Centro Cultural Oi Futuro oferece uma programação que valoriza a produção de vanguarda e a convergência entre arte contemporânea e tecnologia e também abriga o Museu das Telecomunicações, pioneiro no uso da interatividade e da gamificação no Brasil e com um acervo de mais de 130 mil itens que contam a história do setor no Brasil.

 

Em maio de 2019, o Oi Futuro apresentou a pesquisa de tendências inédita “Museus: Narrativas para o futuro”, que faz um raio-x da percepção do público sobre museus brasileiros e aponta tendências e desafios para repensar o papel do museu no país e engajar mais visitantes. O estudo parte de dados quantitativos e qualitativos levantados para projetar como os museus podem transformar o modo como influenciam a vida contemporânea, promovendo experiências que estimulem a participação ativa do público. Os dados estão disponíveis para download gratuito no site do Oi Futuro https://oifuturo.org.br/pesquisa-museus-2019/

 

Sobre o Museu das Telecomunicações: Com 13 anos de história, o Museu das Telecomunicações já nasceu inovador, sendo pioneiro no uso de interatividade e tecnologia integradas à museologia no país. O museu fica dentro do Oi Futuro no Flamengo, no Rio, e recebe cerca de 19 mil visitantes por ano. Com entrada gratuita, o espaço reúne passado, presente e futuro de forma arrojada em um mesmo ambiente e leva o visitante a uma viagem pela história da comunicação humana no Brasil e no mundo. São 210m² que traduzem o conceito moderno de museu: o máximo de informação no mínimo de espaço.

 

Sobre a SECEC e a Superintendência de Museus: A Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (SECEC-RJ) tem por finalidade formular, supervisionar e executar a política estadual para a área cultural e de economia criativa, em articulação direta com a sociedade e demais órgãos públicos e privados envolvidos. A Superintendência de Museus, órgão integrante da SECEC, é a instância responsável pela preservação do patrimônio e da memória. Por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, empresas contribuintes de ICMS do Estado do Rio de Janeiro podem patrocinar projetos culturais utilizando o benefício fiscal concedido pelo Estado, inclusive no setor museal.

 

Sobre a Casa Firjan: Sobre a Casa Firjan: Inaugurada em agosto de 2018, a Casa Firjan trabalha para identificar possíveis conexões e promover interações entre indústrias, corporações, organizações, incluindo a sociedade civil. Atenta ao cenário de novos valores, formas de consumo e outras transformações que ocorrem na sociedade, a casa se estrutura através dos seguintes macro temas: reinvenção das empresas, futuro do trabalho e representação das empresas na democracia.

Estas temáticas se desdobram em cursos, palestras, oficinas, projetos especiais, atividades culturais. As iniciativas são voltadas às novas e futuras exigências do mercado, acompanhando o ritmo cada vez mais acelerado de mudanças, inovações disruptivas e novas formas de aprender, consumir e empreender.  Isso se reflete no ambiente inspirador que conta com espaços flexíveis, além de laboratório de fabricação.     

DATAS HIPERMUSEUS: 

·         11 de junho – Evento de lançamento – Lab Oi Futuro

·         11 de junho a 12 de julho – Inscrições no Edital (www.hipermuseus.com)

·         20 de agosto – Seminário Internacional – Casa Firjan

·         20 a 23 de agosto – Laboratório de Inovação

·         Agosto a dezembro – Mentorias Lab Oi Futuro

(Visited 112 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *