Cleber Tolini : baixa visão e alta performance

A experiência pela qual passou, quando perdeu 80% da visão após uma cirurgia para a retirada de um tumor, poderia facilmente se transformar em um drama para o ator Cleber Tolini. Mas algo que esse paulistano jamais se permitiu foi a vitimização. Cleber arregaçou as mangas e foi cada vez mais atrás de informações a respeito do transtorno que atende pelo nome de Baixa Visão.

Mais comum do que se imagina, a baixa visão acomete 4 a cada 5 deficientes visuais. E foi por essa razão que o ator decidiu falar mais abertamente sobre o tema. “Eu conversava às vezes com algumas pessoas, e elas diziam ‘O que é baixa visão? Não é cego, mas também não enxerga muito…'”, diz Cleber, que então resolveu levar para os palcos muitos dos dilemas com os quais convive desde que começou a lidar essa nova perspectiva de vida, em 2004.

O espetáculo “SubNormal”, que tem direção de Djalma Lima e texto do próprio Cleber, mostra de forma precisa e delicada, mas sem pieguice alguma, todo o processo vivido pelo ator na trilha inesperada que se abria em seu caminho. O resultado é surpreendente. Em 50 minutos de espetáculo, Cleber carrega a plateia nas mãos e faz parecer parar o tempo. Em todas as sessões é aplaudido de pé.

Essa semana nós conversamos com ele, que gentilmente nos recebeu no Teatro Cândido Mendes, em Ipanema, onde a peça fica em cartaz até 10 de novembro. Cleber nos falou sobre a necessidade de falar sobre o tema, e revelou porque decidiu expor sua própria história de vida nos palcos.

*logo abaixo do vídeo, veja os horários do espetáculo

*reportagem e imagens : Léo Uliana

Serviço: 

Temporada: de 04 de outubro a 10 de novembro 

Dias e horários: de sexta a domingo, às 20h 

Local: Teatro Candido Mendes (Rua Joana Angélica,  63, Ipanema. Tel: 2523-3663) 

Ingressos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia) 

Capacidade: 103 lugares 

Duração: 60 minutos 

Classificação: 12 anos

(Visited 259 times, 1 visits today)

Um comentário em “Cleber Tolini : baixa visão e alta performance

  • 17/10/2019 a 17:36
    Permalink

    Esta peça é acessível para quem tem deficiência visual, mas não estamos falando da audiodescrição convencional em que as pessoas usam um fone de ouvido e escutam a descrição do mundo visível individualmente.
    Esta peça tem audiodescrição integrada a dramaturgia, ou seja, as descrições estão integradas as falas e tudo é dito pelo próprio ator. Se quiserem conversar mais sobre isso estou a disposição! É muito importante que esta informação esteja no serviço sempre assim mais pessoas terão acesso a esta informação e mais pessoas com deficiência visual saberão que há acesso e que são todas e todos muito bem vindos!!

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *