‘RIO MAIS BRASIL, O NOSSO MUSICAL’ EXALTA UM PAÍS QUE TEM NO SEU POVO A SUA MAIOR RIQUEZA

Idealizado por Gustavo Nunes, com direção de Ulysses Cruz e texto de Renata Mizrahi, espetáculo estreia dia 20 de julho, no Rio, e excursionará por mais sete capitais

 Com Cris Vianna, Claudio Lins, Danilo de Moura, Danilo Mesquita e mais 16 atores multi-instrumentistas, o espetáculo apresenta composições inéditas e canções consagradas na história musical do país.

 Abrem-se as cortinas do presente: em cena, o Brasil real, aonde cantam sabiás, uirapurus, mas que é, principalmente, berço de um povo produtor de uma arte plural, que cria música para balançar a tristeza, de uma gente que suja as mãos de barro para trabalhar, mas também para fazer brotar belezas. O país de Villa-Lobos, Ary Barroso, Caetano Veloso, Rita Lee, Almir Sater, Tom Zé. Mas também da mulher que carrega a lata d´água na cabeça, do menino que faz samba ou funk no morro ou no asfalto, do índio que dança em sua aldeia, do sertanejo que produz poesia à espera da chuva, da cabocla de jeito mestiço, do guri tri legal. Idealizado por Gustavo Nunes, com direção de Ulysses Cruz e autoria de Renata Mizrahi‘Rio mais Brasil, o nosso musical’ exalta um país possível e a Cidade Maravilhosa, cheia de encantos e contrastes. O povo brasileiro é o protagonista, com sua pluralidade, sua complexidade, seu sincretismo, livre de estereótipos. Uma gente que enverga, mas não quebra. A estreia será no dia 20 de julho, no Oi Casa Grande, com Cris Vianna, Claudio Lins, Danilo Mesquita Danilo de Moura encabeçando um elenco de 20 atores-multi-instrumentistas. Na semana que antecede à estreia, serão realizados um ensaio aberto gratuito (14/07) e duas sessões de pré-estreia, dias 15 e 16 de julho. A Turbilhão de ideias Entretenimento (de ‘Cássia Eller, o musical’) assina a produção.

 ‘Rio mais Brasil, o nosso musical’ se passa nos bastidores da realização de um longa-metragem, livremente inspirado na obra ‘O Povo Brasileiro’, de Darcy Ribeiro. O produtor Martin (Claudio Lins) recebe uma verba para criar uma superprodução, mostrando um Brasil jamais visto antes no cinema usando a obra de Darcy como referência. Após muito procurar, ele vê suas ideias traduzidas pela cineasta Cris (Cris Vianna), que propõe mostrar a essência do povo brasileiro. E a escolha do elenco deve refletir essa proposta, com pessoas de todo o país, que mostrarão um pouco de suas vivências, ajudando a entender o Brasil através da sua gente. À medida que as filmagens avançam, os valores vão sendo reduzidos, até que o investimento na produção é completamente cancelado. Como seguir adiante? O que pode ser feito? Um novo fato reacende as esperanças e possibilita a continuação das filmagens.

 Desde o início do processo, o idealizador do projeto, Gustavo Nunes, e o diretor Ulysses Cruz tinham uma certeza: queriam fugir do óbvio, evitar uma abordagem estereotipada. “Recusamos tudo que fosse clichê”, pontua o diretor. “Queremos um lugar mais real, de pessoas potentes, não os mesmos cartões postais, nem as mesmas frases feitas”, afirma a autora Renata Mizrahi“Eu não quero retratar a Zona Sul, da forma como sempre é mostrada, quero também a arquibancada número 1 da Sapucaí. Aquelas pessoas que estão ali têm histórias maravilhosas para contar. Uma das primeiras visões que tive do Rio foi o baile charme de Madureira. Aquele é o Rio que me interessa, o Rio real”, acrescenta Ulysses.

 Realidade e ficção dialogam em cena. Não apenas porque o espetáculo retrata uma rotina tão comum à cultura brasileira, mas porque foi livremente inspirado em um fato acontecido na própria produção do musical, que seria montado em 2016, porém teve o cancelamento de um patrocínio quando estava iniciando os ensaios, já com todo o elenco escolhido. O produtor e idealizador Gustavo Nunes não desistiu e artistas como Ulysses Cruz e Cris Vianna seguiram à disposição do projeto, que pôde agora ser viabilizado com apresentação do Ourocap, patrocínio de Eletrobras Furnas, copatrocínio do IRB Brasil RE e apoio da ONS, em uma realização da Turbilhão de Ideias Entretenimento.

 “É a arte mais uma vez driblando os obstáculos e fazendo brotar a criação de onde antes havia apenas incerteza. “Essa primeira tentativa frustrada se transformou em história na peça. E o Martin é uma homenagem ao Gustavo, que nunca desistiu de fazer esse espetáculo nascer”, exalta Ulysses.

 “O Ulysses foi a primeira pessoa que convidei para integrar o projeto. A ousadia que ele apresenta em suas encenações seria fundamental para poder realizar um projeto como este”, afirma Gustavo, que complementa: “sentia falta de ver nos palcos um espetáculo que refletisse o Brasil de hoje. Ainda consumimos tantas histórias que não têm absolutamente nada a ver com a nossa realidade. Nossa cultura e nossas questões precisam tomar maior proporção, ainda mais num momento como o que estamos vivendo”.

 Assim como no filme retratado no espetáculo, a escolha do elenco traduz a diversidade brasileira: foram mais de 500 candidatos de todo o país e a lista inclui nomes do Amazonas, Mato Grosso, Bahia, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Anna Bello, André Muato, Bárbara Sut, Camila Matoso, Clayson Charles, Edmundo Vitor, Janaína Moreno, Kesia Estácio, Leandro Melo, Luciana Balby, Nando Motta, Marcel Octavio, Paulo Ney, Priscilla Azevedo e Teka Balluthy foram escolhidos pela banca formada por Ulysses Cruz, os diretores musicais Carlos Bauzys e Daniel Rocha, o diretor assistente, Thiago de Los Reyes, a produtora de elenco, Vanessa Veiga, e Gustavo Nunes. O elenco se complementa ainda com o multi-instrumentista Fernando Thomaz, que também atua nesta encenação.

SERVIÇO

 ‘Rio mais Brasil, o nosso musical’

 Ensaio aberto gratuito: Dia 14 de julho, às 21h. Senhas distribuídas na bilheteria do teatro, a partir das 19h.

 Pré-estreias: 15/07, às 21h

                   16/07, às 19h

Preços pré-estreia

Plateia e camarote – R$ 70,00
Balcão 02 e Balcão 03 – R$ 50,00

 Estreia: 20 de julho

Temporada: até 10 de setembro

 Local: Oi Casa Grande

Av. Afrânio de Melo Franco, 290 – a – Leblon, Rio de Janeiro

 Horários:

Quinta a sábado: 21h

Domingos: 19h

 Preços:

Plateia Vip e camarote – R$120,00
Setor 01  – R$100,00
Balcão 02 – R$80,00
Balcão 03 – R$50,00

Classificação etária: 12 anos
Duração: 105 minutos

Vendas pelo site www.tudus.com.br ou na bilheteria do teatro

Telefone Oi Casa Grande: (21) 2511.0800

(Visited 56 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *