Festival Villa-Lobos presta homenagem a Francis Hime e Claudio Santoro

O compositor Francis Hime é um dos homenageados do Festival.

57º Festival Villa-Lobos se estende para além do Rio de Janeiro pela 1ª vez, no ano em que reverencia Claudio Santoro e Francis Hime

Concertos, shows, exibição de filmes, exposição, palestra, lançamento de livro e oficinas ocupam espaços do Rio de Janeiro e Petrópolis, entre 13 e 17 de novembro

Pela primeira vez em seus 57 anos, o Festival Villa-Lobos ultrapassa a fronteira do Rio de Janeiro e chega à cidade serrana de Petrópolis, onde também realiza concertos e oficinas de música de câmara. Os homenageados desta edição são os compositores Claudio Santoro(1919-1989), na celebração do centenário de seu nascimento, e Francis Hime,que comemora 80 anos de vida em plena atividade. Com realização do Museu Villa-LobosSarau,o festival acontece de 13 a 17 de novembro em espaços como a Cidade das Artes, Museu Villa-Lobos, Cinemateca do MAM e SESC Quitandinha, com patrocínio da Uber, através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

“É um privilégio para o Brasil contar com artistas tão criativos e representativos da diversidade cultural nacional, e o Festival Villa-Lobos tem como uma de suas principais missões celebrar a vida e a obra dessas grandes figuras da música brasileira”, exalta o diretor artístico Marcelo Rodolfo.

Assim como aconteceu com outros importantes festivais brasileiros, este ano o Festival Villa-Lobos está recorrendo ao financiamento coletivo (https://benfeitoria.com/festivalvillalobos) para levantar parte dos recursos necessários à sua realização: “O Festival Villa-Lobos, como outros festivais que há décadas integram o calendário cultural da cidade, não merece sucumbir diante de crises e dificuldades, que eventualmente nos atingem. É importante neste momento o engajamento da sociedade para ajudar a manter os eventos que não apenas difundem a cultura como movimentam um enorme mercado, geram milhares de empregos diretos e indiretos e ainda retornam impostos ao governo”, alerta Andréa Alves, diretora da Sarau Agência, realizadora do festival.

As homenagens começam já na abertura do festival, na quarta, dia 13, na Grande Salada Cidade das Artes. A Jazz Sinfônica Brasil, de São Paulo, que está completando 30 anos de atividade e participa pela primeira vez do Festival Villa-Lobos, apresenta obras de Claudio Santoro, Villa-Lobos e Francis Hime, conduzida pelo maestro Fábio Prado, dentro da série Brasil Sinfônico. Mais um dos discípulos de Koellreuter, Santoro foi compositor, regente, violinista e professor. Viveu na Alemanha entre 1970 e 1978 e lá conquistou renome internacional, além de lecionar na Escola Superior de Música de Heidelberg e de Mannheim. De volta ao Brasil, fundou a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília. Ao longo de sua carreira, recebeu vários prêmios e condecorações nacionais e internacionais, entre eles o Lili Boulanger– que tinha como jurados Igor Stravinsky e Aaron Copland– e o Berkshire Music Center, ambos em Boston, EUA. O Teatro Nacional de Brasília é batizado com seu nome, assim como o auditório da cidade de Campos do Jordão, São Paulo.

Ainda no concerto inaugural, o compositor, pianista, arranjador e regenteFrancis Hime divide o palco com a Jazz Sinfônicae recebe os convidados especiais Leila Pinheiro, Olivia Hime e Zé Renato para lançar oficialmente o seu novo álbum de inéditas –Hoje (Biscoito Fino) –, que chega àslojas em 8 de novembro. Da nova safra,serão apresentadas Desdenhosa, em parceria com Hermínio Belo de Carvalho, Sofrência (Francis Hime / Thiago Amud), O tempo e a vida (de Francis e o parceiro português Tiago Torres da Silva), Samba Funk, com letra de Geraldo Carneiro, e Laura, escrita por Francis e Olivia para a neta do casal, além de sucessos como Atrás da porta e Trocando em miúdos (ambas de Chico Buarque e Francis Hime) e Sem mais adeus (Francis Hime / Vinicius de Moraes), entre outras, compostas ao longo de mais de cinco décadas de carreira.Completam o programa do concerto alguns movimentos da Sinfonia do Rio de Janeiro de São Sebastião, composta por Francis com textos de Geraldo Carneiro e Paulo César Pinheiro, que contarão com a participação especial dos convidados, sob a direção de Flavio Marinho.

No fim de semana, o Palco do Lago do SESC Quitandinha, em Petrópolis, recebe dois concertos à tarde: no sábado, 16, é a vez da Real Banda Euterpe Friburguense, banda civil mais antiga do Brasil em funcionamento ininterrupto. O conjunto de 53 músicos, que foi assistido por Villa-Lobos, está completando 150 anos e prepara um programa com músicas de Adoniran Barbosa, Consuelo Velasquez, Gilberto Gil, Nilo Mendez e Tom Jobim, com regência do maestro Nelson José da Silva Neto. No domingo, a Camerata de Violões de Três Rios, formada por 60 integrantes com idades que vão dos 10 aos 70 anos e conduzida pelo maestro Felipe Carretiero, criador e arranjador do grupo, apresentará um repertório popular, que inclui obras de Raul Seixas, Zé Ramalho e Marisa Monte, entre outros.

No do dia 14 de novembro,o Museu Villa-Lobos abre suas portas para um Encontro de Corais e a Cinemateca doMAM dá início à mostra Cine Brasil Música, apresentando, ao longo de três dias (14, 15 e 16/11), os filmes Villa-Lobos: uma vida de paixão, de Zelito Viana, Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha, e O Descobrimento do Brasil,de Humberto Mauro. Antes (excepcionalmente no 1º dia) e após a exibição de cada filme, o palco da Cinemateca recebe a Série Jovens Cameristas, em que se apresentam o Five Brass Quintet e dois dos vencedores do Concurso de Música de Câmara do Festival Villa-Lobos de 2018: o Duo Kinesis e a Camerata de Esquina.

Durante o festival (dias 13 e 14/11), o público também poderá visitar a exposição O Carnaval das Crianças Brasileiras, em cartaz no Museu Villa-Lobos. Com a curadoria da musicóloga Maria Alice Volpe a exposição comemora os 100 anos de criação da obra pianística Carnaval das Crianças,de Villa-Lobos, com várias atrações, com destaque para os vídeos de animação realizados pelo N.A.D.A. (Núcleo de Artes Digitais e Animação da PUC-Rio), trabalho recém-vencedor na categoria Estudantes Universitários Brasileiros, no Festival AnimArte.

O Núcleo Pedagógico este ano será sediado no IMCP – Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis, na cidade serrana,de 15 a 17/11,onde serão ministradas as Oficinas de Formação em Música de Câmara destinada a grupos de jovens músicos que também estarão participando do IX Concurso de Música de Câmara do Festival Villa-Lobos. No SESC Quitandinha,acontecerão os concertos da série Mestres em Cena, com a participação dos professores das oficinas que prestarão sua homenagem a Villa-Lobos e Claudio Santoro. No dia 17/11, acontece o encerramento do Núcleo Pedagógico e a premiação do concurso.

SERVIÇO: 

57º Festival Villa-Lobos

De 13 a 17 de novembro

Informações: (21) 2221-1765

Email: festivalvillalobos@sarauagencia.com.br

Links:www.festivalvillalobos.com.br/ www.facebook.com/festivalvillalobos

www.instagram.com/festivalvillalobos / twitter.com/fvlobos

 

CIDADE DAS ARTES

Av. das Américas, 5.300 – Barra da Tijuca

Tels: (21) 3328-5300

Capacidade Grande Sala: 1.200 lugares

Ingressos: Plateia: R$ 80 / Frisa lateral: R$ 60 / Camarote nível 1: R$ 50 /

Camarote nível 2: R$ 40 / Galeria baixa: R$ 30 / Galeria alta: R$ 20

 

MUSEU VILLA-LOBOS

Rua Sorocaba, 200 – Botafogo – RJ

Tels: (21) 2226-9020 / 2226-9822

Capacidade: 300 lugares

Entrada franca

 

CINEMATECA DO MAM

Av. Infante D. Henrique, 85 –Parque do Flamengo

Tels: (21) 3883-5600

Capacidade: 180 lugares

Entrada franca

 

SESC QUITANDINHA – PETRÓPOLIS

Av. Joaquim Rolla, 2 – Quitandinha, Petrópolis

Tels: (21) 4020-2101

Capacidade: Praça do Lago – 200 / Café concerto – 280 / Biblioteca – 50 lugares

Entrada franca

(Visited 18 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *