Álamo Facó leva o drama de sua mãe para o palco

Álamo Facó_foto Julio Andrade

Depois da arquiteta Marpe Facó receber um diagnóstico de um tumor cerebral, em 2010, Álamo Facó vivenciou 100 dias de uma verdadeira jornada emocional. Sempre ao seu lado, o ator e dramaturgo acompanhou em detalhes o tratamento, a luta e o dia a dia de sua mãe. Após seu falecimento, mergulhou em um processo de criação que chamou de “A Síntese do Relevante”, de onde nasceu o monólogo Mamãe. Influenciado por artistas como Sophie Callle, Lygia Clark e Bruce Nauman, a peça não traz o drama exacerbado das histórias com essa temática, nem tampouco sua estética traz os tons pastéis de um hospital. A peça tem como prioridades, o encontro com o espectador e a busca pelo ineditismo, como possibilidade.

O espetáculo Mamãe, estreia dia 3 de dezembro, às 19h, no Espaço Sesc, Sala Multiuso e nasce da necessidade de levar aos espectadores uma história real, sem sentimentalismos. “Apesar do tema, a peça é coloridaça, uma peça para cima”, diz. Não se atendo a uma realidade documental, o texto dá voz à personagem Marta que, perdendo suas faculdades, começa a expandir sua consciência a limites inesperados. “Eu sou o cérebro dela. Aqui a dramaturgia é usada como limite”. Mamãetraz à cena os tabus que permeiam a morte, as variações do consciente e os limites do amor entre mãe e filho.

Segundo monólogo de sua carreira, Mamãe foi construído através de parcerias entre Álamo e pessoas pelas quais cultiva respeito e admiração. “Esse é um espetáculo híbrido. Eu estou envolvido em todos os âmbitos da peça. Eu a dirijo, mas ao mesmo tempo, convido o César Augusto, que é um artista que eu admiro muito, para dirigir comigo. Com a Bia Junqueira, que é uma artista plástica completa em quem confio e admiro, a mesma coisa, chamo para criar uma instalação/cenário comigo. E isso se estendeu ao figurino, iluminação, som, tudo!”. A parceria profissional de Álamo Facó e César Augusto teve início quando o ator começou a frequentar as oficinas na Cia dos Atores e se desenvolveu no primeiro trabalho que levou a mesma assinatura dos dois, o espetáculo Talvez, que teve uma longa carreira nacional e internacional apresentado na Europa e América Latina (Escócia, Alemanha, Holanda, Portugal, Chile).

Agora em 2015, voltam a se encontrar na montagem de Mamãe, que traz à cena as reflexões desses dois artistas que se destacam como expoentes da cena teatral do Rio de Janeiro. Mamãe traz à cena o olhar desses dois artistas contemporâneos dispostos a vasculhar as entranhas de uma experiência pessoal para compartilhá-la com o espectador.

SERVIÇO

Espetáculo MAMÃE

Local:  Espaço SESC – Sala Multiuso (Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana/ RJ 25470156)

Texto e atuação: Álamo Facó

Elenco: Álamo Facó

Estreia:  03 de dezembro/Temporada: de quinta a domingo até 20 de dezembro de 2015

Horário:  de quinta a sábado às 19h, domingo às 18h00

Preço: R$ 20,00; e R$ 5,00 associados SESC e R$ 10,00 estudantes e idosos

Bilheteria: terça a domingo das 15hs às 21hs/Duração: 70min/Classificação: 12 anos

(Visited 44 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *