Débora Veneziani divide o palco com Matheus Nachtergaele em “Moliére”, tragicomédia sobre histórico dramaturgo francês, que faz turnê nacional

Além de assinar a coreografia do espetáculo, atriz produz show de humor de improviso e estimula a auto descoberta feminina na dança

A atriz e bailarina Débora Veneziani retorna para a nova temporada do sucesso “Moliére”, espetáculo baseado na vida do dramaturgo francês considerado mestre da comédia satírica, com apresentações confirmadas no Rio de Janeiro, Ceará, Maranhão, Recife e São Paulo. Nos palcos, ela dá vida a Armande, enteada e primeira atriz da Cia de teatro de Moliére, vivido por Matheus Nachtergaele.

– É uma jovem bem resolvida com a sua sexualidade, livre e debochada. Ela brinca com homens que aparecem em sua vida de forma leve e inteligente, e se torna a peça principal para que a cia de Moliére continue existindo. Me vejo em muitas características dela, já que como artista pesquiso sobre o papel imposto a mulher na sociedade, e ela consegue subverter essa lógica dos clichês femininos sendo dona do seu próprio desejo – detalha a atriz.

Escrita pela mexicana Sabrina Berman e dirigida por Diego Fortes, a trama traz uma disputa bem humorada entre a comédia, representada por Moliére (Matheus Nachtergaele), e a Tragédia, personificada pelo poeta Jean Racine (Élcio Nogueira Seixas), que tem como cenário a corte carnavalesca de Luís XIV na França absolutista.

É inspirada no próprio teatro do francês, que fundia vários estilos em uma mesma obra. O humor satírico misturado com influências renascentistas e barrocas. A partir daí temos o conflito inusitado entre formas opostas de pensar o mundo, expressas pelas famosas máscaras do teatro: uma malandramente de tudo e de todos, e a outra que mostra reverência e temor diante da dor e da morte – acrescenta.

Débora conta ainda que um dos maiores prazeres do espetáculo é dividir novamente o palco com Matheus Nachtergaele. Sua personagem faz parte romântico com aquele vivido pelo ator.

Trabalhar com o Matheus é um tesão, essa é a palavra. Sempre fui fã dele como profissional, pela sua forma visceral de atuar, que é tão genial na comédia porque é tão profundo em seu drama. E agora percebo que este é quem ele é, um ser humano sensível ao mundo e ao que sente. As cenas com ele mudam constantemente e sempre serão sobre como nós estamos naquele dia e como nos ouvimos. E sobre isso é o tesão, estar vivo e curtir o presente – conta.

Além de atriz, a paulistana também é coreógrafa pessoal de Johnny Hooker, sendo responsável por coreografar o clipe de “Amante de Aluguel” e seus shows que fizeram turnê pelo Brasil e Europa em 2022. Em “Moliére”, ela assina a direção de movimento da obra. Embaladas pelas letras de Caetano Veloso, as músicas são executadas ao vivo e com arranjos originais do maestro Gilson Fukushima.

– Por se tratar de uma comédia musical com uma banda ao vivo, além de criar coreografias divertidas em tom de sátira da linguagem do teatro musical, também os preparei corporalmente para o espetáculo que dura mais de duas horas. Como estamos trazendo a história de uma cia de teatro que encena suas peças, foi importante trabalhar texturas e movimentos que diferenciem os estados de quando estamos encenando a peça dentro da peça ou os próprios personagens – explica.

A atriz em cena de “Moliére”, ao lado de Matheus Nachtergaele.

Ainda no primeiro semestre do ano, Veneziani irá estrear em seu primeiro show solo, “A Ira do Afeto”, com direção de Rafaela Azevedo. Se trata de um espetáculo de humor de improviso através da palhaçaria, com dramaturgia de Carla Zanini.

– Durante minha trajetória como atriz sempre me identifiquei com a comédia, principalmente com a palhaçaria. Meu encontro com a Rafa (Azevedo), a palhaça Fran, me encorajou a levantar este solo quase autobiográfico, com exageros de uma palhaça trágica que sou, provocando e questionando os valores e costumes impostos. Nos unimos pela vontade de falar sobre o feminino e seus deslocamentos sociais. Pra mim o papel da comédia é fazer rir através da identificação e da desconstrução – esclarece.

Fora dos palcos, ministra aulas de dança e participa do projeto social “Treino na Laje”, idealizado pela atriz e professora de yoga Sophia Bisiliat. De forma voluntária, a iniciativa leva saúde mental e física para alunos de diversas regiões de São Paulo através da dança e outras técnicas corporais.

– As aulas tem o propósito de fazer cada alune conhecer seu próprio corpo. Para nós mulheres, são impostos diversos padrões que nos fazem odiar nossos corpos, e acredito que dando liberdade de se movimentar, sem julgamento, somos capazes de nos amar com nossas individualidades. Criar um espaço de segurança entre mulheres foi o caminho que encontrei. Ali nos aplaudimos, nos olhamos, nos incentivamos e nos unimos – finaliza.

(Visited 14 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *