“Dez Minutos”com Dan Stulbach : “Enquanto todo mundo quer fazer comédia, fico feliz por estar fazendo um drama”

Cópia de A toca do coelho-teatro 015

Convidado para dirigir “A Toca do Coelho”, o ator Dan Stulbach sabia que tinha pela frente o desafio de fazer o público refletir em torno de temas delicados, como perda,morte e superação.

E não tem sido diferente desde a estreia do espetáculo em São Paulo, em setembro de 2013. Essa semana o espetáculo, que conta com Reynaldo Gianecchini e Maria Fernanda Cãndido, estreou no RJ numa temporada que se estende até junho.

“Dez Minutos” foi conferir a apresentação e aproveitou para conversar com Dan , em bate-papo que você confere a seguir:

*Você ficou impactado quando recebeu o convite para dirigir esse espetáculo,sendo ele tão dramático ?

Dan-“Na verdade eu já conhecia esse texto, porque coincidentemente eu já havia lido ele, pelo fato dele já ter sido premiado no exterior, ter sido muito badalado, eu tive curiosidade e tive oportunidade tê-lo em mãos muito antes de pensar em trabalhar com ele.Eu até soube que alguém tinha os direitos para a montagem aqui no Brasil, mas não imaginava que fosse ser convidado.E o mais engraçado é que quando eu li o texto já para dirigir o espetáculo, eu li com outros olhos, porque dependia também da minha contribuição para a realização da peça,mas foi fantástico,foi essa emoção como a de hoje aqui no teatro.”

*Você sentiu um peso maior por trabalhar em cima de um texto já premiado no exterior?

A toca do coelho-teatro 002
Elenco primoroso saúda o público ao final da apresentação no Teatro Leblon-RJ.

Dan-“Não,isso não.Eu tinha uma convicção de que o público viria e iria gostar do que estava assistindo.Eu estava trabalhando com dois atores muito queridos e prestigiados pelo público e também estava sendo movido por um desejo de realizar um trabalho de teatro,bonito,diferente e ousado; porque hoje em dia todo mundo quer fazer comédia, então não deixa de ser um desafio você levar aos palcos um drama como esse.”

*Esse espetáculo tem muitos personagens lidando com superações, mas cada um de uma forma muito peculiar.Você se identifica com algum deles em particular?

Dan-“Olha, na verdade eu acho que se fosse escolher um personagem mais próximo de mim, seria o Gabriel, porque eu sou muito atrapalhado e então eu teria feito alguma merda e estaria tentando reconstruir o malfeito.”

*Em relação à tv você tem algum projeto?

Dan-“Sim, eu tô gravando uma série com a Heloísa Perisse, que se chama “A Segunda Dama” e talvez tenha uma novela no segundo semestre desse ano.”

*E a vida de apresentador no “Encontro com Fátima Bernardes”…

Dan-“Pois é, uma nova experiência que eu tô gostando muito, mas vamos ver no que vai dar.”

*reportagem : Léo Uliana/*imagens : Sérgio Horta

(Visited 66 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *