Temperatura máxima em “Killer Joe”

hudsonmotta_foto_grupo

Depois de temporada de sucesso em São Paulo, chega ao Rio a peça KILLER JOE, com texto do premiado dramaturgo, roteirista e ator norte-americano Tracy Letts e direção de Mario Bortolotto. A tradução é de Maurício Arruda Mendonça, e no elenco estão Aline Abovsky, Ana Hartmann, Carcarah, Fernão Lacerda e Gabriel Pinheiro.

 Texto de estreia de Tracy Letts na dramaturgia, KILLER JOE foi escrita em 1991, e dois anos mais tarde fez a sua estreia mundial no pequeno espaço Lab de Evanston, em Illinois, Chicago.  Depois disso já foi encenada em 15 países em temporadas concorridas em Edimburgo, Nova York, Londres, recebeu prêmios e foi traduzida para 12 idiomas.

 KILLER JOE ganhou mais popularidade ao ser adaptada para o cinema em 2011 sob direção de William Friedkin, tendo Matthew McConaughey no papel principal. A peça, como toda a obra de Tracy Letts, se justifica não só pela importância dos temas que aborda – violência, desagregação familiar, drogas, corrupção, traição, violação sexual, valorização do capital em detrimento da vida humana – mas também pela forma como o faz, através de personagens complexos, engraçados, e facilmente identificáveis no imaginário do público.

 SINOPSE

 Perseguido por traficantes, o jovem Chris Smith (Gabriel Pinheiro) elabora um plano para salvar a própria pele e envolve a família na jogada. Com a ajuda do pai, Ansel (Fernão Lacerda), e da madrasta, Sharla (Aline Abovsky), contrata o matador de aluguel Joe Cooper (Carcarah), conhecido como Killer Joe, para matar a própria mãe e dividirem o dinheiro do seguro.

 A MONTAGEM

 A montagem de Mário Bortolotto mantém fidelidade ao texto de Tracy Letts, respeitando inclusive as indicações feitas pelo dramaturgo. Apesar de se tratar de uma família americana de meados dos anos 1970, as relações expostas ganham proporções universais, e são apresentadas de forma realista e crua, proporcionando força e veracidade à narrativa.

 O cenário de Mariko e Seiji Ogawa reproduz o trailer onde se passa toda a ação. A televisão, foco de atenção do personagem Ansel, preserva as indicações de programação contidas no texto original. Ajudam a compor a ambientação das cenas a música de Hank Williams e a trilha escolhida por Bortolotto, que inclui blues de Seasick Steve e músicas da banda Tito & Tarantula.

 FICHA TÉCNICA

 Texto: Tracy Letts/Tradução: Maurício Arruda Mendonça

Direção: Mário Bortolotto/Assistentes de Direção: Gabriella Spaciari e Valentine Durant

 Ator / Personagem:

 Carcarah / Joe Cooper (Killer Joe)

Fernão Lacerda/ Ansel (pai)

Gabriel Pinheiro / Chris Smith (filho de Ansel)

Ana Hartmann/ Dottie (filha de Ansel)

Aline Abovsky / Sharla (madrasta)

 Cenário: Mariko e Seiji Ogawa/Figurino: Letícia Madeira

Iluminação: Fernando Azevedo/Sonoplastia: Mário Bortolotto

Inserções Sonoras: Gabriella Spaciari e Ninguém/Operação Técnica: Gabriel Oliveira (Little Beat)

Efeitos Especiais: Kapel Furman, Rodrigo Telles e Victor Akkas/Fotos: Hudson Motta e Leekyung Kim

Programação Visual: André Kitagawa/Produção: Aline Abovsky (SP), Ana Hartmann (SP) e Ana Nero (RJ)

Produção Executiva: Carcarah/Assessoria de Imprensa: JSPontes Comunicação – João Pontes e Stella Stephany

Estreia: dia 07 de julho (terça), às 21h

Local: Teatro Poeira – R. São João Batista, 104 – Botafogo, RJ    Tel: (21) 2537-8053

Horários: terças e quartas, 21h / Ingressos: R$50,00 e R$25,00 (meia entrada) / Horário bilheteria: 3ª a 5ª das 16h às 21h; 6ª e sábado das 16h à meia-noite

FOTO : Hudson Motta

(Visited 34 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *